Trinta dias tem Novembro, Abril, Junho e Setembro; de vinte e oito, só há um, e os mais têm trinta e um.

Outubro lavrar, Novembro semear, Dezembro nascer.

Cava fundo em Novembro, para plantares em Janeiro.

Dia de São Martinho, fura o teu pipinho.

Dia de São Martinho, lume, castanhas e vinho.

Do São Martinho ao Natal, o médico e o boticário enchem o bornal.

Se o Inverno não erra caminho, tê-lo-ei pelo São Martinho.

Se queres pasmar teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo São Martinho.

No dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho.

Pelo São Martinho, abatoca o teu vinho.

Pelo São Martinho, mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.

Pelo São Martinho, nem favas, nem vinho.

Pelo São Martinho, todo o mosto é bom vinho.

Por São Martinho, nem favas, nem vinho.

Dos Santos ao Natal, Inverno natural.

De Santa Catarina ao Natal, mês igual.

De Todos os Santos ao Advento, nem muita chuva nem muito vento.

De Todos os Santos ao Natal, bom é chover e melhor nevar

Advertisements