Charles Darwin

Charles Darwin

Comemoram-se hoje os 200 anos do nascimento de Charles Darwin.
Charles Darwin (1809-1882) foi um naturalista inglês que desenvolveu uma das mais importantes teorias científicas de sempre. Numa época em que se pensava que cada espécie tinha sido criada independentemente e que as formas dos seres vivos eram imutáveis no tempo, Darwin defende que todos descendem de um antepassado comum e que são o resultado de milhões e milhões de anos de evolução. Na sua concepção, o Homem e o macaco são parecidos porque são «primos». Com a publicação do seu livro A Origem das Espécies, em 1859, Darwin coloca-se no centro de um debate que envolve numerosos cientistas de todo o mundo, bem como diversos sectores da sociedade inglesa. No final do século XIX, a evolução era um facto finalmente aceite.

O grande contributo científico de Darwin foi o de ter formulado uma teoria que explicava o mecanismo da evolução. Darwin sabia que não existem dois indivíduos iguais na natureza (variabilidade). Também sabia que os recursos num dado ambiente são limitados e que, por causa disso, de todos os indivíduos que nascem, só alguns podem sobreviver. Darwin conclui que os indivíduos que possuem características que lhes garantam melhores hipóteses de sobrevivência tendem a passar estas características à próxima geração. Assim, ao longo de gerações e gerações, estas características hereditárias tenderão a ser naturalmente seleccionadas, o que acabará por resultar na evolução da espécie (ou da população) por Selecção Natural. Apesar de hoje se discutir a importância relativa de outros mecanismos, a Selecção Natural continua a ser considerada o principal mecanismo de evolução.

No Verão de 1831, Darwin foi convidado como naturalista para fazer uma viagem à volta do mundo a bordo do navio Beagle. Darwin tinha 22 anos. A viagem, que durou cinco anos (1831-1836), foi em grande parte passada ao largo da costa da América do Sul. Durante estes anos, Darwin tomou nota de todas as coisas que observava e coleccionou animais, plantas e rochas. A bordo, preparava os espécimes enviando-os depois para Henslow. É também nestes anos que inicia uma troca de correspondência com diversos naturalistas do mundo inteiro. Mais tarde, Darwin recordaria a viagem a bordo do Beagle como o «acontecimento mais importante da minha vida» e aquele que «determinou toda a minha carreira».

Darwin chegou ao arquipélago das Galápagos em 1835. Nestas ilhas do Oceano Pacífico, banhadas pelas águas frias do Sul e pelas águas quentes do Oeste, a diversidade biológica era imensa. Pinguins e leões-marinhos viviam lado a lado com flamingos e peixes voadores, numa curiosa amálgama de formas tropicais e do Árctico. Era como se todo o arquipélago fosse «um pequeno mundo em si mesmo». Os infindáveis apontamentos que Darwin tirou sobre a geologia destas ilhas vulcânicas e sobre as adaptações das espécies aos diferentes ambientes de cada ilha seriam cruciais para mais tarde formular a sua teoria da evolução. Nas Galápagos, Darwin sentia-se perto do «mistério dos mistérios» – a origem das espécies.

Não percas a apresentação sobre Darwin – clica aqui

Recursos sobre Darwin

Texto adapatado de Caderno de Apoio Concurso Darwin regressa às Galápagos

Anúncios