You are currently browsing the daily archive for 12/03/2009.

Continuação da história de Ulisses, de Maria Alberta Menéres.

POLIFEMO EM ÍTACA

Lá estava Ulisses finalmente feliz junto de Penélope, até que um dia apareceu Polifemo a nadar em direcção à costa de Ítaca.
Quando o viu, Ulisses disse aos seus homens:
― Metam-me na catapulta.
― É muito perigoso ― disseram os marinheiros.
― Não interessa ― respondeu Ulisses.
Os homens colocaram-no na catapulta, mas entretanto apareceu-lhe a deusa Minerva, que lhe perguntou:
― Ulisses, estás louco? Não podes fazer isso!
Minerva fez uns gestos no ar e a catapulta partiu-se.
Ulisses, furioso perguntou-lhe:
― Porque fizeste isso, Minerva?
Mas ela desapareceu sem lhe responder.
Entretanto, Polifemo chegou à ilha e, vendo Ulisses, disse:
― Pensavas que me tinhas cegado? Fizeram-me quatro operações para voltar a ver, e foram a sangue frio, por isso agora vais pagar, pigmeu!!!!!!!
E, depois de dizer isto, começou a comer os habitantes com sal e pimenta. Ulisses ergueu a sua espada e desafiou-o:
― Vem a mim ou foge!
Mas Polifemo comeu-lhe a espada.
― É, eu comprei isso na loja do chinês… ― declarou Ulisses ― Dá cá! ― ordenou já muito enervado.
Polifemo olhando para Ulisses exclamou:
― Agora és tu, Ninguém!
― Blá, blá, blá…Tu nunca paras de falar? ― respondeu Ulisses.
Nisto apareceu a deusa Minerva que, vendo aquele espectáculo, disse:
― Faz como naquele conto de fadas! Adormece-o e atira-o ao chão…
Polifemo agarrou na deusa Minerva e comeu-a como se fosse uma batata frita. Ulisses irritou-se tanto que deu um pontapé ao gigante. Polifemo foi parar à Ilha dos Infernos. E foi assim que Ulisses e Penélope nunca mais viram o ciclope e ficaram felizes para sempre.
Sérgio Vicente, n.º 25, 6.º 5.ª
Anúncios

Continuação da história de Ulisses, de Maria Alberta Menéres

A ILHA DOS INFERNOS

Depois de Ulisses regressar a Ítaca teve uma emergência de última hora. Chegou uma carta a pedir-lhe que aprisionasse todos os mortos da Ilha dos Infernos, porque houve uma fuga. O Cérbero ficou doente, então os mortos aproveitaram a oportunidade e fugiram.
Ulisses lá partiu à aventura. Recrutou alguns marinheiros e soldados para não ir sozinho, subiram todos no barco novo e foram para a missão.
A viagem durou cerca de quarenta dias, mas eles nem deram por ela. Aportaram na Ilha dos Infernos e, para seu espanto, não viram ninguém. Só o pobre Cérbero, o cão de três cabeças, ladrava tristemente por causa da sua barriga. Imaginem que o Cérbero, o cão de três cabeças, foi lá para dentro dos Infernos e comeu carne de ovelha negra, que lhe fez mal ao estômago. Então, a primeira coisa que os marinheiros fizeram foi tratar dele.
Depois de o tratarem foram procurar os mortos desaparecidos, mas não tiveram sucesso. Foi nessa altura que Ulisses ouviu vozes vindas de uma gruta.
Quando entraram na gruta, os mortos planeavam recuperar os seus corpos, mas Ulisses não o permitiu. Foi então que apareceu a feiticeira Circe que conseguiu aprisionar todos os mortos novamente no seu lugar.
Depois desta grande aventura, Ulisses voltou para casa com um cão novo, o Cérbero. E foi a partir daí que viveram todos felizes para sempre.
Emilian Bizgu, n.º 4, 6.º  7.ª
logo_be_15-16

Estatística

  • 2.079.612 visitas

Videoteca - DVD para empréstimo na Biblioteca

dvdcolec
melhornet
Bookmark and Share diigo it

Ler ebooks

Arquivos

Março 2009
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Comentários Recentes

SUAN em Provérbios de Maio
khanny merlina em Quantas vezes já pensaste…
joão marcelo nascime… em “Leilão de jardim”…
fhidafhui em Provérbios sobre o São Ma…
Sandy Matos em Provérbios de Setembro
feiradolivro
Anúncios
%d bloggers like this: