PAÍS NATAL
António Baticã Ferreira

Um sentimento de amor pátrio sobe no meu coração,
Em espírito demando o meu país natal,
E lembro aquela floresta africana,
Cheia de caça e de verdura;
Lembro as suas imensas árvores gigantes,
A folhagem verde ou amarela
Que nos perfuma.
Revejo a minha infância,
Toda cheia de alegrias:
Eu corria pelo mato,
Espiava os animais selvagens,
Sem medo;
E olhava os lavradores nos campos,
E, no mar, os pescadores,
Que lutavam contra o vento, para agarrar o peixe,
E que eu, atento, seguia com o olhar:
Como gostava de os ver no oceano
Domar as vagas, que lhes queriam virar as barcas!
(Ah!, bem me lembro, bem me lembro do meu país natal!)

_____________________________
António Baticã Ferreira
[1939- _]

António Baticã Ferreira nasceu em Canchungo, Guiné-Bissau, em 1939.
Frequentou o liceu em Paris e formou-se em Medicina, na Suíça. Exerceu a profissão de médico no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.
Colaborou com poemas seus em diversas publicações francesas: La Tribune Internacional des Poètes, L\’Afrique Nouvelle e La Croix e portuguesas: Poesia & Ficção, Diário Popular e Debate.

Anúncios