Alguns dos títulos disponíveis na Biblioteca sobre a Primeira República:

Leitura informativa

Eduardo Cintra Torres e Luís Marinho, O século do povo português – 1910-1926, Ediclube, 125 p., ISBN 972-719-153-3

Uma panorâmica da sociedade portuguesa durante a I República:
Os temas abordados são os seguintes:
Ciência e Sociedade
Educação: o Falhanço da Utopia
A Força da Imprensa
Heróis do Ar, Nobre Povo: Gago Coutinho e Sacadura Cabral
Pneumónica: uma Epidemia mais Mortífera que a Guerra
Pobreza e Riqueza.
Uma Nova Vaga de Emigração
Assistência Social: das Associações para o Estado
«Aquela Onda de Insolência»
A Economia à Procura da Política
Prazer e Lazer
Lisboa e Tejo e Tudo
Família e Comunidade
Mulheres: a Luta contra o Silêncio

Paula Meireles e Maria Inês Queiroz, Viva A República! 1910 -2010, Imprensa Nacional-Casa da Moeda. 208 p., ISBN: 9789722718394

Catálogo da exposição VIVA A REPÚBLICA! 1910-2010, que retrata os acontecimentos fundamentais do período da I República e do Republicanismo, relembrando os seus ideais cívicos, as suas principais realizações e os seus grandes protagonistas, propondo uma leitura de um dos ciclos políticos mais marcantes da história de Portugal no século XX.
Dedicada ao público em geral e à população jovem em particular, esta exposição integra uma forte componente lúdica, mas também pedagógica, recorrendo a meios tecnológicos representativos das transformações e evoluções do último século.
O percurso expositivo inicia-se na origem e triunfo do republicanismo, atravessando o processo de implantação da República, os primeiros anos de governação republicana e a participação de Portugal na I Guerra Mundial, cruzando ainda a vida política, social, cultural e artística deste período até à Ditadura Militar, decorrente do golpe de 28 de Maio de 1926, e o movimento de resistência ao Estado Novo.

Osvaldo Macedo de Sousa, As Caricaturas da Primeira República, Tinta da China, 200 p., ISBN: 978-989-6710477

A liberdade de expressão, a sátira e a hipérbole fazem da caricatura um meio inigualável para retratar a vida política de um país. Integrado na série de álbuns comemorativos do Centenário da República (1910-2010), As Caricaturas apresenta uma visão crítica e bem-humorada das personagens revolucionárias, do percurso político-social e das lutas partidárias que dominaram este período da história de Portugal.

João Mário Mascarenhas, coord., Bandeiras de Portugal, Biblioteca Museu República e Resistência, 39 p.

A evolução das bandeiras nacionais até à sua actual forma. Destaque para a bandeira da república, com significados das cores e símbolos. Fotos sobre a implantação da república.

Jornais e Jornalistas na I República, Jornal Público, 12 p.

Boletim do Jornal Público sobre o jornalismo na I República. Os jornais de há cem anos, posicionamento político, personagens que povoavam o quotidiano da imprensa, nas modalidades de transmissão das notícias ou no trabalho tipográfico e nos seus contratempos.


Leitura Recreativa


José Jorge Letria, A minha Primeira República – O Princípio de 100 anos de História, Dom Quixote, 64 p. ISBN: 978-972-20-3859-1.

(7 exemplares na biblioteca)

No dia 5 de Outubro de 1910, Portugal deixou de ser uma monarquia para se transformar em república, uma das poucas então existentes na Europa e no resto do mundo. Neste livro, José Jorge Letria relata os acontecimentos ocorridos nesse dia e nos que se lhe seguiram. Foi um tempo de agitação, de esperança e de conflito, que mudou para sempre a História do nosso país. A personagem central desta narrativa é um rapaz de Lisboa, cujo pai esteve entre os civis e os militares que, na Rotunda, onde hoje se encontra a estátua do Marquês de Pombal, garantiram o triunfo dos revoltosos e do projecto republicano. As ilustrações de Afonso Cruz dão à narrativa o tempero e a força das imagens vivas e coloridas.
Escrito a pensar nos mais novos, este livro, imaginado e feito de olhos postos na memória e na história de Portugal, pode ser lido por públicos de todas as idades. Revisitar esse tempo e essa memória é reencontrar um país que viveu um tempo único e intenso de transformação e mudança e conhecer um pouco mais de perto as pessoas que tinham um sonho e um ideal para cumprir.

Afonso Cruz, José Jorge Letria, Machado dos Santos – O Herói da Rotunda, Texto Editores, 32 p., ISBN: 9789724740584
(4 exemplares na biblioteca)
antos
Vem conhecer a história de António Maria Machado dos Santos, o homem que na madrugada do dia 4 de Outubro de 1910 chegou à Rotunda para liderar centenas de homens na defesa desta posição estratégica. Mantendo-se firme e irredutível, mesmo face a notícias contraditórias que davam a revolução como detida pelas forças do Rei, Machado dos Santos aguentou a posição e a sua atitude foi decisiva nos eventos que se desenrolaram, culminando com o anúncio da implantação da República, a 5 de Outubro de 1910. Cem anos depois, José Jorge Letria relata-nos a vida de Machado dos Santos, e Afonso Cruz ilustra, de forma exemplar, a vida deste herói esquecido

Cidália Fernandes, Um Auto à República, Plátano Editora, 32 p. ISBN: 9789727707171

Para comemoração do centenário da implantação da República, os alunos de uma escola resolveram aceitar o desafio da professora Augusta: comemorar o evento, através de uma representação teatral. Façamos com eles uma viagem ao passado ainda tão vivo; acompanhemos os acontecimentos e o entusiasmo das personagens que impulsionaram a mudança; recordemos os antecedentes, as lutas, as vitórias, os reveses e a paixão daqueles homens que inscreveram a história da sua Pátria na grande página da História da Humanidade.

Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, Mataram O Rei!, Editorial Caminho, 256 p., ISBN: 9789722109659

Orlando leva Ana e João na máquina do tempo em busca de um criminoso perigosíssimo que tem uma alcunha elucidativa — o Toupeira — e sabe camuflar-se tomando personalidades diferentes conforme o caso. Isso dificulta imenso a perseguição. Todas as pistas apontam para Lisboa no ano de 1908 e certos indícios fazem pensar que se relacionam com uma simpática família onde há três lindas raparigas. A melhor maneira de o caçar será fazerem amizade com elas. Para isso instalam-se na casa vizinha e passam a frequentar as festas, os passeios e até os bailes que o rei dá no Palácio da Pena, em Sintra.. As voltas e semivoltas levam João a envolver-se sem querer com um grupo de revolucionários que se preparam para assassinar o rei D. Carlos…

Advertisements