Começamos hoje a publicar os textos vencedores do concurso de escrita criativa.

Começamos pela menção honrosa da categoria ensino nocturno:

O PERU PINGUINHAS

Vinha o Pai Natal a passar na rua quando ouviu:

“THINC..THANC…CHUNK …”
–  Ora essa?!!! O que será?!.. – espreitou e viu… a gorduchinha D. Fininha, com as bochecholas rosadinhas e grandes tamancas, a correr atrás dum enorme peru. O peru dizia:
– Já viram isto?!.. toda a minha vida era só…
Por outro lado, ouvia-se D. Fininha:
– Estás muito bonitinho… Hum… tás mais rechonchudinho… e…  hoje anda atrás de mim! Anda cá meu bichaninho, que tenho uma pinguinha, anda cá.
Lá o apanharam.
–  CLUD, GLUD, GLUD.- ouviu-se com pausa. O peru abriu um olho, e depois o outro e…
–  Olha!… a D. Fininha?! mas …não está bem?!!! parece mais balofinha… mas é ela com duas caras!… não!… não está… tá com três caras … ORA! BARBELAS?!… Não!… não ‘tá… tá com… quatro caras, três orelhas, um tacho, hops… um tacho??? um pirum p’ra cada lado, p’ra ca…ás, p’ra lás… (ou de lás p’ra cás???)
–  OK… três pernas, seis “dedas”, “duas sapatos”, quatro orelhas … POIS, “ASSINS” É QUE TÁ CE… ERTO! – dizendo com um ar sereno e consolado.
–  É LI-INDAS A D. Grossaaaa,.. HIP!.. O Paiiiii-Naa-tal,.. HIP!.., O NA-AAL …