Publicamos hoje duas poesias da Marta Cortes, do 7.º ano

A Razão

Porquê que é tão complicado
Amar e ser amado
Conseguir encontrar um coração
E nela guardar a nossa recordação

Nada posso fazer para poderes olhar
E veres que os meu olhos estão a chorar
Não consigo fazer-te perceberes
Que passas por mim sem me veres

E aqui estou apesar
Nesta solidão sem te ter
E fico para a pensar
Na razão do meu viver

Agora que sabes aquilo que sinto
Já não tenho nada a explicar
Mas eu choro porque não percebo
porque sofri tanto só para te amar

Amigos da Onça

Não curto de pessoas sonsas
Muito menos amigos de onça
Otários sem correcção
Que não teem correcção

Não podemos confiar
Nem nada lhes contar
A porcaria que eles fazem
Só desilusões é que trazem

Idiotas que não têm vida
Malta que nem seque chegou
E que estão logo de partida
Voam e nem sequer tem plano de voo

É que já nem tenho pachorra
Este mundo é uma porra
Isto agora acaba aqui
Já escrevi tudo o que senti

Marta Cortes
Nº29
7º2ª

photo credit: Helga Weber via photo pin cc