O escritor, ilustrador e contador de Histórias Miguel Horta esteve na semana passada na nossa escola, para uma sessão com alunos do 5.º e 6.º ano, a propósito da leitura da obra Pinok e Baleote.
Miguel Horta falou das suas experiências em África, surpreendeu os alunos contando uma história em Crioulo, e respondeu a inúmeras perguntas de uma jovem e entusiasmada assistência. Como não houve tempo para responder a todas as questões, fica o repto de apresentar as mesmas no blogue do escritor, com a garantia de que serão respondidas.
Aqui ficam alguma das fotos do encontro:

 

Miguel Horta nasceu em Lisboa em 1959. Desde criança que teve o contacto decisivo com o mar, um tema presente em toda a sua obra.
Em 2006 publicou Pinok e Baleote, a história que nós lemos, e que nos conta história de Pinok, um menino crioulo com fama de muito mentiroso, que vive em Tamarindo, uma ilha imaginária de Cabo Verde. É o relato de uma amizade entre homens e animais que acaba por salvar a ilha, semeando solidariedade.
Em 2008 publicou “Dacoli e dacolá”, um conjunto de sete histórias, todas elas passadas em Portugal, sobre temas muito diversos que desafiam a imaginação e são motivo de reflexão sobre o humano a partir das suas vivências quotidianas.
Além de escritor, Miguel Horta é também um contador de histórias e é um pintor: cruza imaginários como quem mistura pinceladas de cor. Tem trabalhado pelo país fora.
É dinamizador da Biblioteca António Ramos Rosa, na Cova da Moura e conta contos pelo país, realizando um trabalho notável na promoção do livro e da leitura e em educação pela arte.
Actualmente desenvolve o projecto “A cor das histórias” em estabelecimentos prisionais.