You are currently browsing the category archive for the ‘Dia do patrono’ category.

Na semana de 7 a 11 de Fevereiro do corrente ano, decorreu na nossa escola uma actividade dinamizada pelas formandas finalistas do Curso de Acompanhante de Crianças, da Turma B3F.
A iniciativa decorreu no âmbito das actividades desenvolvidas pelos cursos nocturnos deste Agrupamento de Escolas, para comemoração do Dia do Patrono.
Durante a semana, os formandos de todas as turmas dos Cursos Nocturnos (1º, 2º e 3º ciclos), inspirados na personalidade e na filosofia do Padre Alberto Neto, criaram frases relacionadas com a importância da Escola na vida de todos.
Finalmente, nos dias 10 e 11 de Fevereiro, as formandas do Curso de Acompanhante de Crianças deslocaram-se a todas as salas de aula onde explicaram como fazer um cata-vento. Por sua vez, os formandos das turmas visitadas explicaram e ofereceram às formandas da Turma B3F as 4 frases seleccionadas por cada turma, de entre as que foram feitas individualmente nas aulas. Essas frases serão integradas em cata-ventos que farão parte da Exposição que estará patente na Semana da Actividade Integradora, A Escola à maneira dos EFA, que irá decorrer entre 9 e 13 de Maio próximo. A actividade terminou com as formandas da Turma B3F a oferecerem um cata-vento à turma visitada, que foi colocado no talude para o efeito. Questionadas sobre a forma como decorreu esta iniciativa, as alunas disseram: “Sentimo-nos muito à vontade e fomos bem recebidas. Gostámos muito das frases que nos ofereceram!”

As formandas do Curso de Acompanhante de Crianças, Turma B3F (2008/2011

Uma estrela cintilante
A minha parte infantil acredita piamente que as estrelas que observamos no firmamento são seres que habitaram a terra, não um ser qualquer, só aqueles que têm valor para nós.
O Padre Alberto Neto foi uma pessoa dedicada à comunidade de Rio de Mouro, de grande dedicação à causa da educação e do ensino, nomeadamente no trabalho com jovens e pessoas carenciadas.
É uma estrela que nos ofusca com o seu brilho! Paulo Ferreira, EFA B3E

A nossa Escola é …

Uma construtora de sonhos! – Paulo Ferreira, EFA B3E

O berço de todos nós! – Florença Essenje, B3E

Um local mágico! – Churider Trindade, B3E

O local onde todos aprendemos! – Adineusa Indem. B3E

O primeiro sopro de vento da sabedoria para a vida! – Sara Teles, B3C

O país de ontem, de hoje e do amanhã, que os professores semeiam e cuidam para que da parte dos alunos a colheita seja farta! – Armindo Gouveia, B3C

O lugar onde aprendemos para toda a vida e o que aprendemos não ocupa lugar! – Dioclides Bonfim, B3C

Um meio de comunicação, de aprendizagem e de amizade entre alunos e professores! – Verónica Cardoso, B3C

A sabedoria das nossas vidas! – Lúcia de Jesus, B3C

Muito importante nas nossas vidas; é aquela que nos faz crescer! – Daniela Té, B3C

Um bem essencial ao nosso futuro! – Judite Fuxi, B3C

Onde aprendemos a ler e a escrever! – Antónia Custódio, B3C

Um caminho presente para o futuro! – Ivanilda Silva, B3C

O local onde aprendemos e conhecemos colegas! – Edna Silva, B3C

Um lugar de futuro, que nós devemos amar porque nos capacita física e psicologicamente, por isso devemos cuidar dela; é o nosso bem-estar! – António Mam, B3C

Onde aprendemos a ler e a escrever! – Antónia Custódio, B3C

Uma casa onde todos os dias se formam grandes Homens, inteligentes, em todo o Mundo! – Virgínia Robalo, B2B

Um mundo de magia, de sabedoria, de letras, de conhecimentos, onde tudo é possível! – Manuela Xavier, B2B

Um recinto onde convivemos, trocamos impressões e que enriquece a nossa sabedoria! – Júlia Gomes, B2B

O passaporte para o Mundo! – Rosa Martins, B2B

Uma caminhada para toda a vida! – Paula Graça, B2B

Muito boa para mim porque arranjei muitos amigos e amigas; eu sou muito divertido na Escola! – Nuno Moreira, B2B

Uma fonte onde todos aprendemos e crescemos! – Boneca Cambari, B2B

Muito importante porque nela podemos aprender muitas coisas, como por exemplo, a ler e a escrever! – Verónica Adriano, B2B

A maior riqueza do mundo! A Escola é, para mim, algo que sempre quis … – Helena Torres, B2B

O maior sonho, a maior riqueza, que ninguém nos pode tirar! – Florentina Jalba, B2B

Muito importante porque as pessoas aprendem a ler e a escrever, também para arranjar amigos e aprender muitas coisas boas! – Claúdia Andrade, B2B

Um meio que nos permite ser “todos diferentes e todos iguais”; onde podemos sonhar, crescer, criar valores e, assim, sermos melhores – sermos nós próprios! – Manuela Lopes, B2B

A fundação das nossas vidas, o sonho! – Carlos Impuque, B2B
Onde aprendemos o respeito, a amizade e solidariedade, e também a ler e a escrever! – Santos Holanda, B3D

O lugar onde nos ensinam: conhecimento, respeito, disciplina. – Azevedo Pereira, B3D

Uma ferramenta importante para a minha formação como homem: adquirir conhecimento, partilhar conhecimento, saber estar e respeitar o próximo. – Emanuel Santiago, B3D

Ensina o respeito, desde pequeninos até sermos homens. – Filomena Varela, B3D

O lugar onde ensinam as crianças a ler e a escrever e a defender os seus direitos. – Filomena Varela, B3D

É uma riqueza de conhecimentos, a felicidade de conhecer novas pessoas e fazer novas amizades; aprender a estar e actuar, ter segurança em nos próprios e fazer cumprir os nossos direitos. – Adriana Leite, B1A

A coisa mais importante para todos nós; devemos vir para a escola para aprender a ler e a escrever. – Ana Torres, B1A

O local mais importante para o ser humano. – Boa Mateus, B1A

Para aprender a ler e a escrever e para ter mais conhecimentos. – Daniela Lopes, B1A

Muito importante para todas as pessoas. – Euridice Ié, B1A

Ensina-nos a saber as coisas da vida. – Eduardo Carvalho, B1A

Uma amiga que ajuda muito; aprendemos o passado, o presente e o futuro. Mamadou Diallo, B1A

O futuro para todos nós. – Maria João Moisés, B1A

O sítio que une pessoas de vários países e de diversos línguas, aprendemos a respeitar-nos todos. – Filipe Aniceto, B1A

—————-

A educação e a formação são muito importantes para a vida de uma pessoa. – Nilza Neves, B1A

Fiquei muito feliz por voltar a estudar na Escola Padre Alberto Neto. – Avelino Massacolo, B1A

Na turma devemos ser unidos, ajudar-nos e respeitar-nos uns aos outros e aos professores. – Francisca Rocha, B1A

Nós, os adultos, vimos à escola porque no nosso tempo de crianças não tivemos oportunidade de aprender. – Claudina Dias, B1A

Para um futuro melhor é importante saber ler e escrever. – Maimuna Fati, B1A

Na escola ajudamos os colegas, trocamos ideias, ajudamos e aprendemos uns com os outros. – Esperança Gola, B1A

Fiquei muito feliz por voltar a estudar; muita coisa que não sabia, agora já sei. – Maria Afonso, B1A

Eu gosto muito de andar na escola. – Maria de Fátima Guerreiro, B1A

Tudo o que aprendemos na escola é o trabalho de muitas gerações; recebemos essa herança, honramo-la e colocamo-la nas mãos dos nossos filhos. – Ana Paula Santos, B1A

Sinto-me bastante satisfeita por ter regressado à escola, por aprender novamente a ler e a escrever e a conviver com várias etnias. – Domingas Quitela, B1A

Estou muito feliz porque fui ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e consegui preencher o impresso sozinho, sem ajuda. – Alpha Sow, B1A

Os estudantes da escola Padre Alberto Neto serão o futuro de amanhã. – Dulce Silva, B1A

Obrigado Padre Alberto Neto, professores e toda a equipa por estes lindos trabalhos e por todas as novas oportunidades que surgiram e que sei que vão continuar a surgir.

Turma B1A

Vimos à escola para aprender Português.

Na nossa escola há muita amizade entre os colegas.

Os colegas ajudam-se uns aos outros.

Os alunos da escola Padre Alberto Neto são muito bons.

Numa escola deve haver solidariedade.

Turma PPT-C

A Escola …

– É um sítio onde todos querem voltar.

– É um sítio onde a porta está sempre aberta.

– É uma fase da vida que nunca voltará.

– É um lugar onde se formam os pensamentos do geração que cresce.

– É o templo das ciências.

– Não serve só para passar de ano, mas para ensinar a viver em sociedade.

– É um local de equilíbrio entre o aprender exterior e o sentir interior.

– É um local onde se aprende várias coisas da vida.

– É um local que ajuda a resolver situações na idade em que os alunos estão.

– É o 1º local onde começamos a crescer e a perceber a vida.

– É um sítio de aprender e de crescer.

– É uma casa que ajuda as pessoas a dar passos nos seus sonhos, a concretizar os seus desejos e a saber lidar com a vida

Turma A do curso PPT (Abdulla Said, Andrei Ceambul, Chien Ming Su, Ewa Teixeira, Frederico Mendes, Muminato Djaló, Nuhu Sidibé, Olena Kozyk, Olena Lakida, Pi Ju Chuang, Sekou Barry, Tatiana Vieira, Yulya Pazychyn, Olena Bolozovska, Zorian Hnatkovych e Kátia Mereacre)

E foi este o resultado da votação que  decorreu em todas as turmas do 2.º e 3.º ciclos acerca das frases do Padre Alberto Neto sobre a escola nova:

A Escola Nova é:


Frases feitas por alguns alunos dos Cursos EFA e duma Turma de UFCD (Unidade Formação Curta Duração) a partir duma proposta da professora de Linguagem e Comunicação (entre os dias 8 e 24 de Fevereiro):

” Inspirando-te na figura do nosso patrono, o Padre Alberto Neto, e tendo em conta o lema da nossa escola, escreve uma frase que transmita o que sentes pela nossa escola. Podes iniciar, por exemplo, com: “A nossa escola para mim é ….”, Ou “Voltar à Escola para mim foi …” ou de qualquer outra forma à tua escolha.”

1. “Voltar à Escola para mim foi como renascer de novo, sentir a emoção de ser estudante, de aprender, de mostrar a mim mesma que sou capaz de dar muito mais de mim, que posso chegar longe. Sinto-me muito feliz por estudar aqui nesta escola, onde não há distinções, somos todos iguais e todos diferentes. Escola esta onde todos aprendemos a ser solidários, humanos e sinceros! Vale a pena estudar na nossa escola!”
Maria Celestina Fernandes, Turma EFA BC

2. “Voltar à escola para mim foi o reencontro de tudo aquilo que nos anos passados ficou para trás por razões financeiras!”
Adelino Viegas, Turma EFA BC

3. “Voltar à Escola, para mim, representou conhecer novas pessoas, relembrar e também aprender novas coisas, coisas importantes e úteis no nosso dia-a-dia, bem como para o nosso futuro. A escola ajuda-nos a ser melhores pessoas, cultas e com boas profissões, também é importante para a nossa auto-estima.
Carla Pinheiro Lima, Turma EFA BC

4. “Voltar à Escola, para mim, passados tantos anos, foi um acto de coragem! Também a realização de uma vontade, que já tinha desde os meus 18 anos, bem como a necessidade de aprender mais!
Filomena Martins Dias, Turma EFA BC

5. “Voltar à Escola para mim foi a realização de um sonho antigo porque é muito importante para mim tirar o 12º ano, ter um Curso Superior … então …”.
Maria Augusta Monteiro, Turma EFA BC

6. “Gostei muito de voltar à Escola; só tenho pena de não ter tido outras possibilidades na altura em que era pequena. Agora, com 53 anos, já é muito difícil!”
Maria Madalena Gonçalves, Turma EFA BC

7.”Voltar à Escola foi, para mim, voltar a crescer! A nossa Escola é, para mim, a minha segunda casa porque a Escola é a base da vida em sociedade. Cada aula é um passo e cada ano é um avanço. Nunca é tarde para aprender porque aqui não se aprende apenas a ler e a escrever, aprende-se a VIVER!”
Joel Brandão Capita, Turma EFA BG

8. “Voltar à Escola foi como uma segunda oportunidade para aprender a crescer!”
Bruno Pereira, Turma EFA BG

9. “Voltar à Escola para mim foi um grande recomeço! Estudar é, para mim, um grande início de tudo!”
Fatumata Binta Bari, Turma EFA BG

10. “A nossa escola é, para mim, como uma segunda casa; aprendo e esforço-me muito, quando tenho dúvidas ou estou em baixo são os meus amigos da Escola que me levantam o moral. Voltar para a Escola outra vez é uma sensação diferente! Eu vejo que mudei muito! Agora, na Escola, aprendo a ser mais responsável, conheço novas pessoas, tento lidar com tudo da melhor maneira possível. É um ambiente diferente do que estava habituado antes. Gosto desta Escola!”
Denilson Monteiro, Turma EFA BG

11. “Desde que estou na Escola de Rio de Mouro sinto-me mais seguro, tanto ao nível dos conhecimentos, como na relação com os professores, em geral.”
Santos Pedro Holanda, Turma UFCD de LC

12. “O que eu sinto por esta Escola é uma grande “paixão”! Esta Escola é, para mim, muito importante, tal como foi o Homem que ajudou a construir o seu projecto – o Padre Alberto Neto”.
Patrício Mendes, Turma UFCD de LC

13. “A nossa Escola é muito importante para mim porque me ajudou a concretizar o meu sonho! Este é o primeiro ano que estudo nesta Escola mas sinto que é uma Escola muito “fixe” e muito bem organizada. É uma escola importante para eu dar passos para o meu futuro!”
Frederico Mendes, Turma UFCD de LC

14. “A nossa escola é, para mim, um centro de Educação, ainda bem que pude voltar à Escola. Era um objectivo muito antigo! Havia de haver muitos Padres Alberto Neto para espalhar a força e para ajudar os jovens e os mais carenciados a lutar por uma vida melhor! A escolha do seu nome para Patrono foi muito bem feita porque ele foi um ser humano como há poucos! Foi pena ter morrido pela Liberdade e por ensinar a Justiça e o Amor!”
Rosa Alpande, Turma UFCD de LC

15. “Voltar à Escola para mim foi muito bom! É uma grande honra para mim estudar numa Escola como esta. Padre Alberto Neto, muito obrigado pela sua dedicação!”
Deolinda Mucumbi, Turma UFCD de LC

16. “Considero esta Escola importante porque é acolhedora, segura e oferece estabilidade aos seus alunos!”
Florença Essenje, Turma UFCD de LC

17. “Para mim, voltar a estudar foi uma escolha muito importante. É bom aprender as coisas que ainda não sei. Gosto de estar nesta Escola porque me sinto bem. Obrigado Padre Alberto Neto por ter existido!”
Joana Neto, Turma UFCD de LC

18. “A minha volta à Escola foi um dos acontecimentos mais importantes da minha vida! Assim que retornei à Escola comecei a ser uma outra pessoa no meio dos meus filhos e das outras pessoas. Foi ainda mais difícil quando tive as primeiras aulas porque nunca tinha estudado em Portugal. Agora sinto que foi muito bom porque já falo sem receios. Foi uma grande honra na minha vida ter tido professores que tiveram muito trabalho para me ajudar; hoje em dia quando há debates nas aulas já falo.
Já sofri muitas ofensas na vida porque não sabia falar nem escrever bem. Mas esta Escola deu-me uma vida nova – agora já posso dizer que nunca é tarde para o meu sonho se realizar! Esta é a verdade!”
Jovita Kassungo, Turma UFCD de LC

Aqui ficam alguns trabalhos realizados por alunos da propósito das actividades do dia do patrono. Clica para veres maior.

No dia 11 de Fevereiro, dia do Patrono, decorreu na biblioteca um ciclo de palestras com um conjunto de convidados e que tiveram como público alvo alunos do 5.º ano (8 turmas, divididas por quatro sessões). estiveram presentes a Prof Leonor Amaral (ex-professora da nossa escola), o ex-professor universitário Fernando Catarino (e ex-director do Jardim Botânico), a irmã do Padre Alberto Neto, e o Dr. José Manuel Cymbron, da Fundação Aristides de Sousa Mendes. A conversa girou à volta das memórias do Padre Alberto Neto, dos valores que defendia, e da Escola Nova com que sonhava. Alunos do 7.º ano interpretaram o «Hino da Esperança», cuja letra em português é da autoria do Padre Alberto Neto, e recitaram várias poesias sobre a temática dos Direitos Humanos. Esteve também patente uma pequena exposição de trabalhos de alunos sobre o patrono. O professor Fernando Catarino ofereceu um carvalho à escola, que será plantado no Dia da Árvore, numa cerimónia que será também um pretexto para evocar a República.
Aqui ficam algumas fotos (clica para ver maior):
Para veres as mais fotos com as respectivas legendas, clica aqui ou consulta a página da biblioteca.

No âmbito das comemorações do dia do patrono, cujo ponto alto do programa decorrerá amanhã, na Biblioteca e no palco da escola, está a decorrer desde o início da semana a Exposição «Violência – dá-lhe a volta», organizada pelo subdepartamento de EMRC. A exposição é constituída por diversos painéis, que se encontram distribuídos pelo átrio da biblioteca e pela escadaria de acesso à mesma. Aqui ficam alguns exemplos:

Concluímos hoje a publicação da colectânea de poemas para o dia do patrono, Padre Alberto Neto, que se comemora na quinta-feira, dia 11 de Fevereiro. Parte destes poemas serão declamados por alunos, na sessão de homenagem ao Padre Alberto Neto, que decorrerá na biblioteca de manhã e de tarde.

O MENINO NEGRO
Geraldo Bessa Victor

O menino negro não entrou na roda
das crianças brancas – as crianças brancas
que brincavam todas numa roda viva
de canções festivas, gargalhadas francas…
O menino negro não entrou na roda.

E chegou o vento junto das crianças
– e bailou com elas e cantou com elas
as canções e danças das suaves brisas,
as canções e danças das brutais procelas.
O menino negro não entrou na roda.

Pássaros, em bando, voaram chilreando
sobre as cabecinhas lindas dos meninos
e pousaram todos em redor. Por fim,
bailaram seus voos, cantando seus hinos …
O menino negro não entrou na roda.

“Venha cá, pretinho, venha cá brincar”
– disse um dos meninos com seu ar feliz.
A mamã, zelosa, logo fez reparo;
o menino branco já não quis, não quis …
o menino negro não entrou na roda.

O menino negro não entrou na roda
das crianças brancas. Desolado, absorto,
ficou só, parado com olhar cego,
ficou só, calado com voz de morto.
______________________________
Geraldo Bessa Victor
[1917-1990]

Geraldo Bessa Victor, poeta e contista, nasceu em 1917 em Luanda e faleceu no ano de 1990, Lisboa, sua segunda Pátria. É autor dos livros “Ecos dispersos”, 1941; “Ao som das marimbas”, 1943; “Debaixo do céu”, 1949, “A restauração de Angola”, 1951; “Cubata abandonada”, 1958, “Mucanda”, 1964; “Monandengue”, 1973. Para Manuel Bandeira que prefaciou o livro “Cubata abandonada” (1958), sem qualquer dúvida, considera que: “Geraldo Bessa Victor recolheu o melhor das mais autênticas vozes de África. Vozes que ele terá ouvido junto às Pedras Negras de Pungo Andongo, conversando com os ventos, os montes, os rios, as velhas mulembas, que lhe falavam de histórias do Quinjango e da Rainha Ginga.”.

NEGRA
Noémia de Sousa

Gentes estranhas com seus olhos cheios doutros mundos
quiseram cantar teus encantos
para elas só de mistérios profundos,
de delírios e feitiçarias…
Teus encantos profundos de África.

Mas não puderam.
Em seus formais e rendilhados cantos,
ausentes de emoção e sinceridade,
quedas-te longínqua, inatingível,
virgem de contactos mais fundos.

E te mascararam de esfinge de ébano, amante sensual,
jarra etrusca, exotismo tropical,
demência, atracção, crueldade,
animalidade, magia…
e não sabemos quantas outras palavras vistosas e vazias.

Em seus formais cantos rendilhados
foste tudo, negra…
menos tu.

E ainda bem.
Ainda bem que nos deixaram a nós,
do mesmo sangue, mesmos nervos, carne, alma,
sofrimento,
a glória única e sentida de te cantar
com emoção verdadeira e radical,
a glória comovida de te cantar, toda amassada,
moldada, vazada nesta sílaba imensa e luminosa: MÃE

_________________________________________

Noémia de Sousa

[1926-2002]

Escritora moçambicana, Carolina Noémia Abranches de Sousa Soares nasceu a 20 de Setembro de 1926, em Lourenço Marques (hoje Maputo), Moçambique, e faleceu a 4 de Dezembro de 2002, em Cascais, Portugal. Poetiza que, numa espécie de postura predestinada, desembaraçando-se das normas tradicionais europeias, de 1949 a 1952 escreve dezenas de poemas, estando muitos deles dispersos pela imprensa moçambicana e estrangeira.

A sua poesia desde muito cedo se mostrou “cheia” da “certeza radiosa” de uma esperança, a esperança dos humilhados, que é sempre a da sua libertação.
Toda a sua produção é marcada pela presença constante das raízes profundamente africanas, abrindo os caminhos da exaltação da Mãe-África, da glorificação dos valores africanos, do protesto e da denúncia.

FALA DO VELHO DO RESTELO AO ASTRONAUTA
José Saramago

Aqui, na terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.
Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza
Ou talvez da pobreza, e da fome outra vez,
E pusemos em ti nem eu sei que desejo
De mais alto que nós, e melhor, e mais puro.
No jornal soletramos, de olhos tensos,
Maravilhas de espaço e de vertigem:
Salgados oceanos que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.
Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
(E as bombas de napalme são brinquedos),
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome.

_________________________
José Saramago [1922- ]

José Saramago nasceu na Azinhaga, concelho da Golegã. Trabalhou como jornalista em vários jornais, entre eles o Diário de Notícias, de que foi director. Actualmente vive na ilha de Lanzarote, arquipélago das Canárias. É um dos escritores portugueses mais lidos e traduzidos no estrangeiro. Em 1991 ganhou o Grande Prémio APE, com o romance O Evangelho Segundo Jesus Cristo, e o Prémio Camões em 1996 por toda a obra. Em 1998 ganhou o Prémio Nobel da Literatura.

SONETO DOS VENCIDOS
José Régio

Quando subi a serra, alguns troçaram,
Enquanto a multidão, em volta, ria…
E troças e risadas arranharam
Tudo o que em mim sentia e se doía.

Todos os mais, depois, me detestaram,
Por eu não ser igual à maioria.
E, fortes, contra um, cem abusaram,
Enquanto a multidão, em volta, ria.

Fartar, vilões, que estou cansado!
Eis-me – Ecce-Homo! – Nu, prostrado e atado.
Podeis lançar-me à cara os vossos lodos!

Mas eu, quanto mais sofro mais me prezo:
Só o meu orgulho iguala o meu desprezo…
E vingo-me em ter pena de vós todos

logo_be_15-16

Estatística

  • 1,850,601 visitas

Videoteca - DVD para empréstimo na Biblioteca

dvdcolec
melhornet
Bookmark and Share diigo it

Ler ebooks

Arquivos

Junho 2017
S T Q Q S S D
« Maio    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Comentários Recentes

SUAN em Provérbios de Maio
khanny merlina em Quantas vezes já pensaste…
joão marcelo nascime… em “Leilão de jardim”…
fhidafhui em Provérbios sobre o São Ma…
Sandy Matos em Provérbios de Setembro
feiradolivro
%d bloggers like this: